Banda de Música de Quixadá em Risco

Postado em: 22 de outubro de 2017 | Sem avaliação

Download PDF

Prefeitura Municipal de Quixadá, contrariando a Lei Municipal 1465 de 21 de Agosto de 1992, que institui as bolsas para a Banda de Música de Quixadá, cria uma espécie de contrato com menor valor, sem aprovação da câmara, que acaba com as bolsas, torna músicos “estagiários” e coloca em risco a continuidade do grupo.

Segundo o que apuramos com alguns músicos da Banda de Música de Quixadá, o Prefeito Municipal Ilário Marques, criou recetemente uma espécie de contrato tornando os músicos estagiários e recebendo uma bolsa com um valor menor do que o instituito pela Lei Municipal 1465. “Esse contrato, além de ser ilegal e com um valor menor do que o da Lei, deixará a continuidade das bolsas nas mãos do prefeito, que poderá cortar as bolsas ao seu bel prazer“, nos contou um dos integrantes do grupo.

Além desse grave problema, apuramos que a Prefeitura comprou materiais básicos de consumo da Banda apenas para os desfiles cívicos de setembro, mas ainda está faltando manutenção e reparos dos instrumentos de 1968, grande parte ainda da época do Prefeito José Linhares da Páscoa, bem como a aquisição de novos instrumentos e fardamentos.

No próximo ano o grupo completa 50 anos, ou seja, meio século. A Sociedade Quixadaense e os músicos aguardam uma grande comemoração. “A Banda é uma pérola que inspira arte e transforma a vida de crianças, jovens e adultos. Um patrimônio sem precedentes para história cultural de um município de Quixadá“, nos contou outro dos integrantes do grupo.


A Banda de Música Municipal Mestre Nabor Crebillon de Sousa, fundada em 24 de Março de 1968, foi 3º Lugar no 2º Festival de Bandas no Rio de Janeiro, em 1997. Essa colocação, juntamente com outras que o grupo conseguiu, tornaram o Município de Quixadá conhecido como “A Terra dos Músicos”.

Buscar melhorias para cultura e em especial as bandas de músicas, se um bom gestor pensar bem, não seria, e nunca será, um ‘gasto desnecessário’, mas sim um grande investimento social para a cidade e o indivíduo! O projeto das 30 bolsas da Banda de Música de Quixadá foi criada em lei e não é assim que se acaba!

O Portal Brasil Sonoro considera as Bandas de Música como as verdadeiras guardiãs da memória musical de uma localidade e a desvalorização de um grupo, por mais que se aleguem motivos financeiros, é uma verdadeira ignorância cultural. Os Músicos recebem um valor irrisório, se comparado à outros valores do orçamento do município. Eles deveriam ser respeitados e valorizados, não o contrário.

____

Matéria escrita por Welligton Sousa (Pindoretama-CE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *