Entrevista com Maestro Jean Wagner (SE)

Postado em: 17 de novembro de 2016 | Sem avaliação

Download PDF

Uma entrevista para elucidar o campo musical sergipano. Nascido na cidade de Rosário do Catete, interior do Sergipe, Maestro Jean Wagner esconde por trás da fala calma e tranquila um grande talento para a música. Com 38 anos de idade, e mais de 20 anos envolta de bandas, o Maestro realizou o sonho de ser regente da banda que o fascinou pela música.

Foi no ano de 1991, então com apenas 12 anos, que Jean Wagner encarou sua paixão pela vida toda. No ano de inauguração da Banda Luiz Ferreira Gomes, o então jovem aspirante a músico brilhou os olhos – ou melhor, os ouvidos – para com sua futura casa. Aos 38 anos de idade, o Maestro é regente da Banda Luiz Ferreira Gomes, como também presidente da Associação de Músicos de Rosário do Catete.

O Portal Brasil Sonoro realizou uma entrevista com o Maestro para saber um pouco da sua vivência nestes anos em meio à música. Confira!

Portal Brasil Sonoro entrevista Maestro Jean Wagner

1- Maestro, já são mais de duas décadas vivendo e respirando música. Com isso, te perguntamos: como você vê a evolução das Bandas Musicais no Brasil atualmente?

Nós estamos com um grande crescimento musical. À nível Brasil, vemos uma grande procura de crianças e jovens, principalmente. É percebido, também, o apoio da família a ingressar neste meio. Isso acontece graças aos trabalhos realizados pelas bandas. O interesse, então, cresceu por parte das pessoas. Entretanto não é possível dizer o mesmo dos incentivos municipais, estaduais e federais, que ainda carecem de auxiliar as bandas musicais brasileiras.

2- Essa questão do apoio familiar foi bastante mencionado na tua resposta. Partindo disso, você acredita que há um abraço geral do público? Você vê o gosto do brasileiro por música num contexto geral?

Falando por aqui, nas diversas apresentações que fazemos, é perceptível o apoio e incentivo da população. O público costuma colocar os filhos por perto, aproximando-os da banda, ajudando para qualquer problema e por aí em diante. Há muito apoio e amor da população, sim.

3- Outra questão mencionada foi o desejo de crianças e adolescentes por ingressarem na música. Focando nesse ponto, você acredita que a música seja uma fonte de transformação social?

Claro, claro. A música, sem dúvidas, pode servir como uma transformação da criança na sociedade. A nossa escola recebe crianças a partir dos nove anos, e é percebida a evolução destes jovens tanto no campo musical, como no campo pessoal. Temos crianças, jovens, adultos, idosos… e por aí vai. Todos vêm de berço. Assim, nunca vi, desde os mais de 20 anos presente, crianças do nosso grupo envolvidas em problemas na escola, por exemplo. Não são crianças que dão trabalho. São, inclusive, as melhores nas aulas. É o que escuto dos professores (risos). Tem uma frase que gosto muito, que diz: “Um minuto de atenção pode mudar a vida de uma criança”. Acho que isso resume bem.

4- A frase resumiu muito bem mesmo (risos). Para finalizar, o Portal quer saber de você, Maestro Jean Wagner: em sua opinião é possível viver como músico no Brasil? É uma profissão que vale a pena seguir?

No meu modo de ver existem dois caminhos: o primeiro é a pessoa que segue sendo um músico. Músico de dia a dia. O outro caminho leva o músico a estudar, estudar e estudar. Temos dois caminhos diferentes, que propiciam cachês diferentes. Enquanto um propõe um salário mais instável, o outro caminho propicia uma vida em orquestra ou bandas militares mais estável e segura. Varia muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *