Orquestra Sinfônica encerra atividades em São José dos Campos-SP

Postado em: 10 de Janeiro de 2017 | Sem avaliação

Download PDF

O ano de 2017 começa com o segmento da crise musical vivida em 2016. A Orquestra Sinfônica de São José dos Campos-SP teve suas atividades encerradas na tarde desta segunda-feira (09) pelo prefeito em exercício. O anúncio dividiu opiniões, e o orçamento de R$ 2,5 milhões, antes destinado ao grupo musical, será destinado para outras áreas.

 

O prefeito Felício Ramuth (PSDB) fez um anúncio que chocou a comunidade musical do estado de São Paulo. Ramuth decretou o fim das atividades destinadas ao grupo musical que compunha a Orquestra Sinfônica da cidade. Segundo o governante, o contrato custa à prefeitura cerca de R$ 2,5 milhões anualmente ao órgão público. No anúncio, o atual prefeito informou que a verba será utilizada em áreas consideradas prioritárias.

 

O fim da Orquestra Sinfônica de São José dos Campos

 

A decisão teve bastante divisão do público, que pode acompanhar de perto via transmissão ao vivo pela página do Facebook do prefeito. Pessoas ligadas à cultura da cidade de São José dos campos criticaram veemente a decisão do prefeito. Segundo estes, outros cortes poderiam ter sido realizados.

 

De qualquer forma, a transmissão ao vivo já alcançou quase 60 mil visualizações, e teve ampla participação do público. Um internauta definiu como vergonhosa a atitude da prefeitura. “Tenho vergonha da população da minha cidade apoiando isso. Cultura também é importante! Infelizmente acabaram com todos os projetos culturais da cidade. Vergonha!”, enfatizou.

 

Outro internauta questionou o Prefeito sobre outros gastos considerados supérfluos pela maioria da população. “O que acha também de encerrar contrato de locação de carros aos secretários e diretores?”, interrogou. O Prefeito tratou de responder cada uma das críticas realizadas ao seu ato, tendo bastante atenção em especificar cada um dos pontos em sua defesa, e na defesa de sua gestão.

 

Segundo ele, “na atual situação da cidade, economia, temos dívidas de conta de água e luz. Tenho visitado UBS e faltam medicamentos básicos. Tenho que tomar atitude quanto isso e uma é romper o contrato com Orquestra Sinfônica da cidade”, afirmou. No entanto, com um breve tom de esperança, almejou voltar com a parceria daqui alguns anos. “Esperamos daqui alguns anos reverter a situação e retomar para ter uma Orquestra ainda maior que a atual”, completou.

 

E você, o que achou deste trágico fim de mais um brilhante conjunto musical? Deixe sua opinião nos comentários!

 

As informações são do Portal G1, pertencente às Organizações Globo de Comunicação, e podem ser conferidas aqui na íntegra.

Classificação

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *